• Segurança 20/03/17 | 09:20:13
  • Pesquisa diz que 20% dos motoristas costumam dirigir com sono
  • Motorista cansado pode dormir ao volante ou não ter os mesmos reflexos
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Portal G1
  • Foto: Divulgação

Um problema no trânsito: motoristas cansados, que dormem pouco, e aumentam os riscos de acidentes. Uma pesquisa apontou que 20% dos motoristas costumam dirigir com sono.

Aí vêm os riscos de cochilar ou dormir mesmo ao volante ou de não ter os mesmos reflexos para se livrar de uma situação perigosa, por exemplo.Tem gente por aí achando que é coruja, passando boa parte da noite acordado. Só que o corpo humano não é feito para isso. Quando escurece, a gente produz até um hormônio: a melatonina, que serve para embalar o sono.

Para a maioria das pessoas, dormir de sete a oito horas é o ideal. Até tem quem se sinta descansado com menos. Mas quatro, cinco, seis horas é pouco. E é o tempo de sono de mais da metade dos brasileiros.

"O indivíduo que deixou de dormir nesse período, nesse tempo que ele precisa, necessário a ele, vai ter algumas deficiências de funcionamento cerebral por esgotamento de neurotransmissores, por várias razões neurológicas e que não importa a gente dizer, mas que leva o indivíduo a ter uma performance pior", explicou o presidente da Academia Brasileira de Neurologia, Gilmar Prado.

Pode ser pela rotina atribulada, por apneia ou outra das mais de cem doenças que afetam o sono. O fato é que muito brasileiro está dormindo mal. E percebe os efeitos disso quando está ao volante.

A pesquisa feita pela Academia Brasileira de Neurologia, o Conselho Regional de Medicina e a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego mostra que mais de 20% dos entrevistados costumam dirigir com sono. Quase 40% por cento conhecem alguém que já se envolveu em acidente por esse motivo.

Depois de um dia cansativo, colegas de trabalho mostrados na reportagem preferem viajar de volta para casa em dupla. "Mas é bom que a gente está em dois, vai conversando, vai batendo papo e espanta um pouquinho o sono", disse Antônio Reis Neto, administrador de empresa.

Rodovia, ainda mais à noite, é um convite para o corpo relaxar. Por isso, a mensagem do painel - "Nunca Dirija Cansado, Não Dê Carona ao Sono" - é um bom conselho nem sempre fácil de cumprir.

Ninguém quer dar carona para o sono. Mas ele entra no carro sem ser convidado. E às vezes, vem disfarçado. Porque os sinais de sonolência todo mundo reconhece. Mas dormir pouco pode mexer com capacidades que são pré-requisitos para dirigir.

Por exemplo: avaliar a velocidade do seu carro, do carro da frente, de quem segue atrás, do caminhão que vem na pista contrária e aí, fazer uma ultrapassagem. Isso tudo, quem está ao volante tem que avaliar e decidir rápido. E não dá para errar.
Então, se tem que dirigir e o sono insiste em acompanhar, o melhor é dar uma pausa na viagem.

"Então, nessa hora, e isso é uma condição que nós dizemos que é uma emergência, ele deve parar o carro num local seguro, sei lá, num posto, procurar tomar uma boa xicara de café forte, aguardar em torno de 30 minutos para a cafeína fazer efeito, porque ela vai ter que ser absorvida, circular, chegar no cérebro, e é bom que ele também repouse, procure dormir, recoste o banco do carro e durma nesse período", explicou o presidente da Academia Brasileira de Neurologia, Gilmar Prado.

Dormir é o que o gráfico Mauro Almeida não faz direito há cinco meses, desde que virou pai. Ele diz que quando pega estrada desperta. Mas, em outros momentos do dia, percebe bem os efeitos da privação do sono.

"A parte de esquecer as coisas, isso ultimamente, direto, tem acontecido, esqueço às vezes de comprar coisas que ela pede, esqueço até de clientes que pedem as coisas e eu acabo esquecendo também justamente por causa disso, diz Mauro Almeida.

comentários