• Saúde 09/08/18 | 09:50:33
  • Casos recentes reacendem alerta sobre procedimentos estéticos
  • Médico dá dicas para escolher um profissional capacitado
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Jornalismo Rádio Videira/ Central de Jornalismo da RBV Rádios
  • Foto: Imagem ilustrativa/ Divulgação

Casos recentes envolvendo intervenções estéticas mal sucedidas tem reacendido o debate a respeito dos riscos que pacientes correm ao se submeter a procedimentos feitos por profissionais não capacitados. A morte de uma bancária por complicações após uma cirurgia estética feita no apartamento do médico, conhecido como Dr. Bumbum, escancarou uma série de condutas semelhantes.

É comum que médicos não especializados realizem pequenos procedimentos estéticos. O que não chega a ser proibido. O código médico do Brasil prevê que a partir da conclusão do curso, o profissional pode exercer qualquer atividade na medicina. No entanto, é sabido que especialistas em cirurgia plástica são mais capacitados para a prática.

De acordo com o cirurgião plástico, Alexandre Zarpellon, antes de realizar um procedimento, o paciente deve procurar saber mais a respeito do profissional. Essa consulta não deve se ater ao perfil nas redes sociais ou ao número de seguidores, mas sim as fontes seguras.

Há também, segundo Zarpellon, alguns sinais que devem ser vistos como alertas de uma conduta duvidosa. Nestes casos, é preciso desconfiar de promessas e resultados milagrosos.

Em nota oficial divulgada após a morte da paciente do Dr. Bumbum, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica se posicionou dizendo que espera por decisões judiciais que possam definitivamente impedir que médicos e não médicos sem especialização realizem os procedimentos sem a devida qualificação.

comentários