• Saúde 17/03/17 | 09:23:56
  • Estado já registra cinco casos de influenza no ano
  • Campanha de vacinação começa em abril
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: ND Online
  • Foto: Divulgação

Entre 1º de janeiro e 4 de março, Santa Catarina já confirmou cinco casos de influenza. Conforme o Governo do Estado, foram notificados 45 casos suspeitos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e, neste mesmo período, foram notificados nove óbitos pela síndrome, mas todos tiveram resultado negativo para o vírus influenza A e B, sendo classificados como SRAG não especificada.

Em meio a esses números, foi anunciada a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (gripe) em Santa Catarina, que será realizada no período de 17 de abril a 19 de maio, sendo o dia 6 de maio o dia "D" de mobilização nacional. No período de 10 a 13 de abril, a vacina estará disponível apenas para os trabalhadores da saúde.Cronograma de vacinação

No Estado, deverão ser imunizadas 1.864.566 pessoas, pertencentes aos grupos prioritários para vacinação: crianças entre seis meses e menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores de saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Nesse total também estão incluídos os 94.362 professores do ensino básico e superior das escolas públicas e privadas, conforme a ampliação da população alvo anunciada este ano pelo Ministério da saúde em ação conjunta com o Ministério da Educação. O objetivo é reduzir o risco da influenza para outras pessoas na escola, considerando que os ambientes de ensino, assim como todos onde houver aglomeração de pessoas, representam risco para a disseminação do vírus da gripe, especialmente naqueles sem ventilação natural.

A vacinação será oferecida gratuitamente em todas as salas de vacina da rede pública de saúde para os grupos prioritários até o final da campanha. A meta é alcançar uma cobertura de pelo menos 90% do público-alvo.

Transmissão

A gripe pode ser transmitida de forma direta por meio de secreções das vias respiratórias de uma pessoa doente ao espirrar, tossir ou falar. Outra maneira é a transmissão por meio indireto, ou seja, pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem levar o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos.

"O vírus da gripe pode permanecer por horas no ambiente, principalmente em superfícies tocadas frequentemente por várias pessoas, como corrimões, interruptores de luz, maçanetas, carrinhos de supermercado, entre outros", ressalta Vanessa Vieira da Silva.

O compartilhamento de materiais escolares, brinquedos, canetas, teclados de computador, por exemplo, também contribui para a transmissão. Por isso, segundo Vanessa, é importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou utilizar o álcool gel, e evitar tocar os olhos, a boca e o nariz após o contato com essas superfícies.

É importante ficar atento aos sintomas da gripe, que, em geral, são febre alta, calafrios, tosse, dor de cabeça, dor de garganta, cansaço e dores musculares. "Quem estiver com febre alta, tosse e falta de ar deve procurar uma unidade de saúde em até 48 horas", alerta Vanessa. O tratamento precoce com medicamentos antivirais ajuda a evitar a evolução para formas graves que podem levar a internação e ao óbito.

Para receber a vacina, basta se dirigir a uma unidade de saúde com sala de vacina. "Os professores precisam apresentar comprovante de vínculo com uma instituição de ensino e as pessoas dos grupos de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais precisam apresentar prescrição médica com a indicação para a vacina", informa Vanessa. Pacientes já cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir aos postos que estão cadastrados. Saiba onde buscar a vacina no site www.gripe.sc.gov.br.

comentários