• Região 08/11/18 | 09:14:16
  • Três são condenados por aplicar golpe do bilhete premiado em Tangará
  • Caso aconteceu em abril deste ano
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Jornalismo Rádio Videira/ Jornalismo Rádio Tangará
  • Foto: Imagem ilustrativa/Rádio Barriga Verde

Dois homens e uma mulher, naturais Rio Grande do Sul, foram condenados nesta semana pela aplicação do golpe do bilhete premiado. A sentença foi proferida na quarta-feira (07) pelo Juiz da Comarca de Tangará, Flávio Luís Dell'Antônio.

Ao aplicar o golpe, os dois induziram as vítimas em erro, fazendo com que elas sacassem valores em instituições bancárias e lhes entregassem o dinheiro, prometendo-lhes, em troca, uma alta quantia que se referia a um suposto bilhete premiado. Enquanto isso, o outro integrante monitorava a conduta criminosa, prestando auxílio moral e material, o que demonstra, de forma inequívoca, a divisão de tarefas e organização do grupo criminoso.

Em Tangará, no mês de abril de 2018, eles aplicaram o golpe do bilhete premiado em uma idosa de 74 anos. Ela foi abordada por uma mulher que solicitou uma quantia em dinheiro em troca de um bilhete premiado no valor de R$ 120 mil, em seguida um homem também se juntou a elas.

Acreditando na promessa, a senhora foi até um banco da cidade e retirou a quantia de R$ 20 mil, sendo indagada sobre o valor deu uma desculpa para poder sacar o dinheiro. Logo após, junto com os golpistas seguiu para Videira, onde na tentativa de sacar mais dinheiro, funcionários da agência bancária estranharam a situação e entraram em contato com a família da vítima, estes fizeram contato com a Polícia.

Ao notar algo estranho, os golpistas fugiram. Foi confeccionado o boletim de ocorrência, a Polícia Civil com auxílio da Polícia Militar trabalhou na investigação do caso. No mês seguinte, maio de 2018, eles foram presos, quando procuravam novas vítimas no município de Capinzal.

Eles foram enquadrados nos crimes de estelionato e associação criminosa. Dois foram condenados a 4 anos de prisão em regime fechado e outro a 3 anos de reclusão em regime semiaberto.

comentários