• Esporte 10/11/17 | 16:58:18
  • Videira sedia terceira etapa do estadual de Bocha Paralímpica
  • Competição reunirá cerca de 80 pessoas entre paratletas, professores e au
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Assessoria de Imprensa
  • Foto: Divulgação

Neste sábado e domingo, dias 11 e 12 de novembro, Videira vai ser sede da terceira etapa do Circuito Catarinense de Bocha Paralímpica, que vai reunir paratletas de todo o estado. Videira ainda é iniciante nesta modalidade e conta com apenas um representante, o paratleta Rafael Prigol.

De acordo com o professor de esportes adaptados da Fundação Municipal de Esportes de Videira (FMEV), Gustavo Brandalise, a competição servirá como incentivo para que mais paratletas de Videira, em breve, possam ingressar nesta modalidade.

"Me sinto extremamente feliz em trazer para nossa cidade, pela primeira vez, um evento deste porte. A superação e a força de vontade serão o ponto alto deste evento. Quem for assistir vai se surpreender", avalia.

A bocha paralímpica é dividida em quatro classes, BC1, BC2, BC3 e BC4, que definem o grau da deficiência de cada paratleta. Os que competem na BC 1 têm paralisia cerebral, conseguem jogar com as mãos ou com os pés e podem receber ajuda.

BC2 e BC4 são paratletas com grau de deficiência semelhante, o que diferencia é o quadro de origem. BC2 têm paralisia cerebral e BC4 (classe pela qual Prigol compete) apresentam qualquer outro quadro de origem não cerebral (distrofia muscular progressiva; esclerose múltipla; Ataxia de Friedrich; lesão medular com tetraplegia). BC2 e BC4 não podem receber ajuda externa, mas podem jogar com suporte.

Paratletas BC3 são paratletas com paralisia cerebral e de condições similares, com origem não cerebral, que têm maior grau de comprometimento motor, O jogador é assistido por uma pessoa que tem como função direcionar a calha (dispositivo auxiliar), pela qual a bola será lançada, seguindo rigorosamente as indicações do jogador (de acordo com a direção que o paratleta indicar).

O Circuito Catarinense de Bocha Paralímpica é uma promoção da Apae, Associação Videinrense de esporte Adaptado (Avea) e a Fundação Municipal de Esportes de Videira (FMEV). Alojamento, alimentação e competição acontecerão no ginásio da Apae. "Sem o apoio da Apae esse evento não aconteceria. Somos muito gratos a entidade pelo incentivo que fornecem ao paradesporto videirense", completa Gustavo.

comentários